Categoria

África do Sul

Roteiro África do Sul – NATUREZA Urbana: Cape Town & Vinícolas

Cape Town, África do Sul

Um destino incomum, um lugar de paisagens de tirar o fôlego com uma cidade no meio… Cape Town, ou Cidade do Cabo é linda por natureza, cercada por praias de aguas azuis, montanhas e pouco verticalizada. A melhor época para ir é de Dezembro a Fevereiro, no verão.. não se iluda com a ideia da África ensolarada, assim como no Brasil a região Sul faz bastante frio. Um combo bacana é Cape Town, a região das vinícolas + um Safari ou, se você quiser relax, Mauritius.

DICA

Tenha timing, a cidade tem habito de jantar cedo, e os restaurantes encerram a cozinha antes da 24hs, inverno bem mais cedo, por volta das 22hs. A comida no geral é muito saborosa, não deixe de experimentar o Boobotie, prato típico sul-africano (algo como um empadão de carne com tempero agridoce). Se você curte o brilho eterno dos diamantes, lembre-se que essa é a casa deles. Ótimo lugar para adquirir ou presentear jóias de mais de 2 quilates.

Onde FICAR

Se você curte agito e ainda quer se sentir local.. hospede-se em uma das duas Deluxe suítes do POD Hotel em Camps Bay, (região hipster de praia) Hotel Boutique de apenas 15 quartos que integrou a hot list da Condé Nast 2011.

Agora se o seu negocio é shopping e hotel com total infra, daqueles grandes com restaurantes, bares e afins hospede-se no WaterFront, local mais turístico, com o shopping Victoria & Alfred como principal protagonista e varias opções de restaurantes. Duda preferiu o One&Only, mais recente, buchichado e com uma vista linda para a Table Mountain. Já eu ficaria no Cape Grace, antigo e aparentemente mais charmoso, com um chá da tarde perfeito.

Nós optamos pelo POD, pelo seu estilo clean, moderno e por ficar em Camps Bay, bairro de praia descolado: pense em Ipanema no Rio de Janeiro, de uma lado as montanhas dos 12 apostolos, do outro a praia com coqueiros e o por do sol mais lindo da cidade. A orla é cheia de bares e restaurantes, jovem e animada. Fora isso, o atendimento do Pod nos conquistou. Mas, se por alguma razão você estiver indo no inverno para lá, fique no WaterFront, que é movimentado o ano todo.

Passeios

  • Table Mountain

Um dos pontos mais comentados como “tem que ir”, tipo pão de açúcar, a vista é linda, mas particularmente prefiro vê-la lá de baixo.

  • Cape of Good Hope, Cape Point e Boulders Beach Penguin Colony

Fomos com um guia, embora ele fosse um querido, fiquei imaginando fazer a estrada da costa e da reserva de moto, uma boa pedida inclusive para fugir das filas imensas do verão. O Cabo da Boa Esperança é um marco, cheio de historia e um mar nervoso como fundo de tela, mas o que lava a alma mesmo é o Cape Point, montanha onde colocaram o primeiro farol, essa vista sim é de tirar o folego. Preste a atenção na paisagem, é uma reserva, você pode ver macacos, avestruzes e ate zebras selvagens. Se tiver com fome almoce lá mesmo, no Two Oceans e aproveite a vista por mais tempo. Fiquei com um pé atrás por estar em um ponto turístico e só ter ele como opção, aquela historia de que concorrência eleva a qualidade, mas me surpreendi, comida gostosa e ambiente agradável. Nesse mesmo dia, aproveite para ver a colônia de Pinguins em Simons Town, nem preciso dizer, meu preferido, é admirável o respeito deles com o Animal. Essa espécie de pinguins só é encontrada na costa da Africa, e um grupo deles escolheu essa praia para morar, como os frequentadores da praia acabavam interferindo na vida dos animais, a praia foi fechada como exclusividade dos pinguins e por ela foi feita uma grande passarela, apenas para observação.

  • Passeio as Vinícolas

A região das Vinícolas fica realmente perto de Cape Town, e é sim um programa imperdível, não fique em duvida, vá. Reserve pelo menos uma noite para dormir por lá. Se dirigir na mão inglesa não for um problema alugue um carro, tudo muito tranquilo, caso contrario, vá com um guia. Faça a região de Stellenbosch, indo ate a cidadezinha de Franschhoek de colonização francesa, ao invés da região de Constantia, que possui bem menos vinícolas, e é extremamente perto, podendo ir ate lá apenas para jantar. Comece pela vinícola Fairview, que tem degustação dos vinhos e queijos de cabra feitos na fazenda, praticamente um picnic (experimente o queijo de cabra com pêssego, trouxemos para o Brasil em icebag que você compra lá mesmo). Ao chegar em Franschhoek, almoce no La Petite Ferme, excelente restaurante , sente na varanda para apreciar a vista, mas opte por vinhos de outras fazendas, o forte deles é a comida. Hospede-se por uma noite no Le Franschhoek Hotel e Spa ou no pequeno e romântico Le Quartier Français, integrante do Relais & Châteaux. A tarde caminhe pela única rua da cidade, com lojinhas bem charmosas e atendimento todo especial, minha eleita.. a Masquerade (Corner Kruger & Huguenot Streets) de uma senhora bem simpática com diversas coisas inusitadas para casa, inclusive sais de banho a granel. Ficou com fome, não deixe de experimentar a panqueca do The Famous Franschhoek Pancake House, o chocolate deles é excelente e o ambiente bem moderninho. A noite jante no The Tasting Room, de preferencia reserve antes de embarcar, o restaurante fica dentro do hotel Le Quartier Français e faz parte dos 100 melhores restaurantes do mundo. De Culinária contemporânea com alto nível técnico, utiliza ingredientes e temperos típicos, que são plantados ou nascem naturalmente no jardim do hotel. E o sal, vem do deserto do Kalahari, da vizinha Namíbia.

Guia

Se optar por guia em algum dos programas, reserve com antecedência, ao menos o nosso era bastante disputado. Além dos passeios, você pode agendar o transfer do aeroporto e ate mesmo reservar os restaurantes, que em alguns casos estão lotados ate três semanas antes. Nosso Guia foi o português Luis Canario, que vive há mais de 30 anos na Africa do Sul. Guia certificado e extremamente agradável, um expert que já mostrou Cape Town até para Adriana Esteves (+27 21 790 7400 / +27 82 694 1274)

Compras

  • Victoria& Alfred Shopping no WaterFront, melhores lojas e shopping de Cape Town.

  • Canal Walk, shopping bem grande um pouco mais afastado, bastante popular, não vale a pena.
  • Cape Quarter, pequeno shopping, aparentemente mais para moradores, com mercado e loja de ferramentas, mas não deixaria de ir por causa da Nap Living, loja de decoração com um café, super estilosa.. a loja toda segue a paleta de cores cinza, branco e preto, só por ai já me conquistou.

  • The Market, no The Old Biscuit Mill, aos sábados pela manhã. Simplesmente imperdível!! É um mercado ao ar livre que mistura lojas de design, antiquários, restaurantes e barracas de produtos e comidas orgânicas. O lugar é muito bacana com mesas comunitárias, onde varias pessoas interessantes sentam ao lado de famílias simples para almoçar, na parte de fora da tenda, muitos jovens degustando seus vinhos sentados com seus cachorros em bancos de feno. Ali reúnem-se artistas, designers, viajantes, artesões, estudantes, por ai vai. E as comidas, cada fazenda monta uma barraca com sua especialidade, difícil é escolher o que provar primeiro.

Restaurantes, Bares& afins

  • The Test Kitchen, super cool, cozinha inventiva. Fica dentro do The Markert, Ex-chef La Colombe.

  • La Colombe, em Constantia, chic. Reserve com antecedência.

  • Balthazar, restaurante de carnes premiado, com a maior carta de vinhos e espumantes na taça do mundo, no WaterFront.

  • Nubu, dentro do One&Only. Sinceramente não indicaria, escrevo aqui pq mto li a respeito antes de ir, mas não vale a ida. Já o bar do Hotel Vista, vale pela vista da Table Mountain.

  • The Grand café & beach, em Granger Bay. Bar de praia, ponto de encontro.

  • Café Capriche em Camps Bay, bar agitado, principalmente aos domingos do por do sol em diante.

  • Col´Cacchio Pizzeria, cansou de tanto comer e quer algo mais familiar?! Essa pizzaria é excelente, comemos na de Camps Bay, mas há outras opções pela cidade.