Categoria

Califórnia

Califórnia EMBARQUE IMEDIATO

QUANDO em LA The Apartment by The Line Onde Comprar um Estilo de Vida

Em busca de design e de peças transpiram estilo de vida genuíno?

Que tal uma experiência de compra mais real? Vá conhecer o The Apartment by The Line (referencia em design online, de Vanessa Traina, darling dos fashionistas de NY).

Do sabonete líquido ao mobiliario- tudo está disposto de forma particular como se estivéssemos entrando no apartamento de um amigo de gosto apurado, onde tudo faz sentido e onde os objetos contam uma história de intimidade, que nos fazem esquecer que estão à venda, mesmo com a vontade imediata de recebê-los em nossa própria casa.

Califórnia DESTAQUE EMBARQUE IMEDIATO

CALIFA TRIP California 7 dias L.A to S.F

Quando fomos para o Hawai com a família do meu noivo (sim, agora é noivo, no próximo embarque imediato conto mais!) , aproveitamos para conhecer um pouco da Califórnia, combo perfeito entre a rota certa e um destino que queríamos conhecer.

Sete dias é pouco para todos os “california ways”,  mas foi tempo suficiente para ter uma idéia geral, sentir a vibe  e conhecer muitos lugares bacanas.

Lá vai um pouco desse destino-estilo de vida, influenciador do que é ser jovem agora. Já aviso que vamos voltar com mais entrega easy de ser, seja pelo Vale do Napa que não tivemos tempo, San Diego, ou Santa Barbara que mal conhecemos.

L.A

Por ouvir falar, minhas expectativas a respeito de L.A, eram de uma cidade super cool, com um povo descolado, uma vibe de praia na cidade, interessante, esportista, nerd e divertida, um oásis de paradoxos.

A realidade?! Pelo menos para a gente, foi de uma metrópole que se espraia em imensidão de sonhos e frustrações entrelaçados, daquelas que só se sobrevive de carro em universos que parecem paralelos, como o das inevitáveis Patricinhas de Beverly Hills, da turistada no píer de Santa Monica, dos vida louca em Venice Beach, do sangue novo em Venice, do famous people em Malibu… L.A das praias que não tem cara de praia, exceto Malibu, que se não fosse o ar gelado vindo do oceano, me arriscaria a um mergulho.

L.A justaposição de mundos contrários – ou complementares? A cidade dos anjos não é fácil, é complexa, desconexa, é um roteiro onde cabem todos os gêneros, por vezes envolvente, em outras distante. DIVIDIMOS com vocês todos os spots que nos fariam voltar:

Onde Ficar

Escolha a região pelo seu perfil, vontade… enfim, L.A é diversa e grande. Meu cunhado adora L.A e pra ele que surfa, Santa Monica é o lugar.

Para minha sogra que prefere um passeio pela Rodeo Drive, o escolhido depois de algumas pesquisas, foi o Wilshire Beverly Hills, onde nos hospedamos, o mesmo hotel do já clássico filme Uma Linda Mulher. É super bem-localizado, mas embora tenha acontecido algumas reformas, ele praticamente parou no tempo, um tempo do qual não temos saudades. Dos hotéis que conhecemos, ficaríamos no SLS, ou no The Line, ambos mais modernos, descolados e próximos.

SLS

The Line

Como se locomover

Como tudo é espalhado, vale muito alugar carro, mas se você preferir um profissional, adoramos e super indicamos o Bamdad (310) 866 7639.

Para Almoçar

The Ivy

Nosso primeiro almoço foi no The Ivy, velho conhecido até mesmo de quem nunca esteve por lá, dada a fama e o jeito único. Impossível exportar, importar, replicar ou copiar. O lugar é um charme a La Italia, estilo jardim da nona, porcelanas lindas, rosas frescas, limões sicilianos, tecidos estampados, cor. Um convite para o almoço em um lindo dia, de preferência na varanda, vendo o movimento, e o público interessante que frequenta. A comida, italiana, chiaro, e nesse cenário, secundária, mas os drinks, algo a explorar.

Restaurante do Chateau Marmont

E já que estamos falando de clássicos, que tal almoçar no jardim do lendário e icônico Hotel Chateau Marmont, não fomos, falta de tempo, mas ainda iremos, só para nos sentirmos astros.

Gjelina

Visto a old fashion L.A, hora de conhecer os moderninhos, bola da vez. Algo como o Gjelina, quente nas mais diversas listas, hotspot de Venice para ver e ser visto, de jovens com ar cool a celebrities, e de quebra comer uma pizza deliciosa, sim, na pop L.A a cozinha é a verdadeira estrela do show.

The Tasting Kitchen

Ou o The Tasting Kitchen, hype com decor muito bacana e um ar mais leve, conhecido pelos seus coquetéis e o famoso brunch de fim de semana.

Soho House Malibu

Agora, se você tiver a oportunidade de se sentar no Parador do Soho House Malibu – apenas para membros, não à perca, e nem pense na comida, o lugar é maravilhoso!!!

Para Comprar

Rodeo Drive

A Rodeo Drive é linda! Nunca me imaginei admirada por uma rua de compras, mas nenhuma é tão limpa, clean, bem bolada e cuidada como a Rodeo, sem falar que não há multidões, tem pessoas passeando sem urgência, vendo as vitrines e comprando com calma e sutileza.

Abbot Kinney

Já a Abbot Kinney em Venice, não tem esses predicados todos, mas é um sopro de novidade, criatividade e vida, inspiração para os nossos dias, pena que seja tão curta! Ah, vale uma paradinha na Salt & Straw para um sorvetinho incrível.

Country Market Malibu

O Country Market Malibu, é um shopping pequeno, e longe, por ser em Malibu, mas vale em dois momentos, para matar tempo até o horário do jantar/sunset ou para encontrar moda made in L.A, com achados ótimos e muito estilo.

Deus Ex Machina

Para os homens, aficcionados por velocidade sobre duas rodas, e surfers, com todo o estilo que envolve esses esportes, não podem deixar de conhecer a loja Deus Ex Machina, em Venice. Muito style, com acessórios super bacanas, motocicletas e pranchas para lá de cool.

DICA Vicky S. – Kelly Wearstler Store

Kelly Wearstler é uma das designers de interiores que mais gosto no mundo, e ela tem uma loja em L.A, em uma rua que vale caminhar no lado oposto (próximo da Kelly parece que todos se mudaram), mas vale muito dar uma esticada até lá, o problema é querer comprar suas peças esculpidas em mármore, verdadeiras obras de arte, e ter que carregar. (8440 Melrose Ave, West Hollywood.)

Outras

Outras lojas que valem a visita são a Opening Ceremony, fenômeno cult de NY em Los Angeles. (451 N La Cienega Blvd, West Hollywood). A Rachel Comey, também direto de NY para LA (8432 Melrose Pl, Los Angeles). A Frederics Morgenthal, loja de óculos hiper cool que adoramos em Miami. A papelaria Peper Source próxima a Rodeo Drive. A Rolling Greens com peças de decor fresh, no melhor estilo Simple Style. E a loja de decor ao lado do The Ivy, com curadoria e estilo do próprio.

Para um programa Cult

J. Paul Getty Museum

O J. Paul Getty Museum vale por ele em si, o museu é lindo, com jardins encantadores e uma vista privilegiada, já o acervo não tão empolgante, pelo menos na nossa visita, mas rende uma manha agradável e belas fotos.

Para Jantar

Preste a atenção nos horários, tudo na Califórnia é cedo, não se atrase.

Bazaar de José Andrés

Vá no Bazaar de José Andrés, um dos restaurantes mais bacanas que já fui, não conhecia o de Miami, uma filial, e nem sabia como funcionava, então foi uma feliz surpresa. O restaurante fica no SLS, aquele hotel que gostaríamos de ter nos hospedados, e funciona praticamente na recepção, ou melhor, “piazza interior” concebido por Phillipe Starck, uma espécie de lounge onde há também um bar, patisserie e uma loja. O lugar e a comida são sofisticados, com uma pegada lúdica. O jantar quase mágico, onde nada do que se espera realmente é, mas tudo é ainda melhor do que se imagina. Fomos de menu sugerido, o preço é salgado, mas é daquelas experiências que deliciosamente surpreendem. Se for pedir por conta própria não deixe de provar os algodões-doce de foie gras, algo inesquecível.

NOBU Malibu

Prepare-se para estar lá na hora do por-do -sol, esse é o Nobu mais interessante do grupo, seja pela praia em frente, as lareiras externas, o decor, a turma bonita que frequenta, o movimento, tudo é ideal. Uma sugestão, sente na área externa, se tiver muito frio opte por mesas próximas as janelas e peça pelo Crispy rice tuna spice, de repetir!

Norah

O Norah é um restaurante projetado por outro arquiteto que gosto,Thomas Schoos, designer local veterano, que fez casas para todos, desde Ellen DeGeneres a Courtney Cox, com estilo orgânico limpo, e só por isso já quis conhecer. Novo e embora dizem que com tudo para se tornar um dos melhores, achamos longe, casual demais, e nada surprendente, não voltaria, embora tenha sido uma noite agradável.

ROAD TRIP

Fizemos o contrário do que se costuma fazer, o normal na maioria dos roteiros é vir de São Francisco para L.A, mas como já estávamos em L.A por conta do Hawai, fizemos o inverso, que não altera praticamente nada, a não ser, pelo trecho mais sem graça fechar a viagem.

Saímos de Los Angeles por volta das 10h da manha, nossa primeira parada, Santa Bárbara, uma cidade que foi amor a primeira vista, e lamentamos quase de imediato não saber antes o quanto gostaríamos, para ter passado pelo menos uma noite lá. A cidade é menor, também litorânea, tem um astral leve, jovem, despretensioso e descolado.

Almoçamos no Lucky Penny uma excelente pizza a lenha, em um lugar mordenex, que abriga essa pizzaria e um restô para a noite, o The Lark. Super-indicamos mesmo que para uma parada rápida entre a viagem.

O segundo ponto de passagem é San Luis Obispo, apenas passamos, mas se não tiver almoçado em Santa Bárbara e estiver com fome nesse ponto, dizem que vale pegar o famoso sanduíche Tri-tip na Firestone Grill.

Se a fome apertar mais a frente, em Cayucos, que é uma pequena cidade à beira-mar sonolenta, pare para comer no Smokehouse de Ruddell. Sério, peça vários tacos de peixe defumado com slaw de maçã, pegue uma bebida fria na loja de bebidas da esquina, e sente-se na praia para almoço.

A próxima atração é a visita ao Hearst Castle em San Simeon, antiga morada do jornalista magnata William Randolph Hearst. A Visita é guiada pelas salas opulentas cheias de obras de arte, a Neptune Pool, e uma vista incrível. Não conhecemos, mas se quiser visitar, dizem que você deve chegar com o carro no estacionamento, trocar o papel da internet pelos tickets e pegar o ônibus que levará até o alto da montanha onde fica o castelo.

Obs 1: O horário agendado na internet, é o horário para pegar este ônibus. Chegue um pouco antes.

Obs 2: o tour mais procurado e o ideal para quem vai na 1ª visita é o “Grand Rooms Tour”. É arriscado deixar pra comprar na hora da visita. O ideal é garantir comprando com antecedência pela internet. O tour leva 1h.

Ainda em San Simeon, no farol Piedras Blancas tem os Elefantes Marinhos, uma verdadeira comunidade deles, vale a parada para observar.

Importante: a partir desse momento, se você enjoa em viagens com 300 curvas, é melhor tomar um remedinho, mas por favor, um que não de sono, ou você vai perder tudo que interessa.

DICA VICKY S. #nãoperca – McWay Falls & POST RANCH INN

Agora, o cenário mais lindo que você verá nessa viagem, na minha opinião, está nesse ponto, a Cachoeira do Julia Pfeifer Burns State Park, fique de olho nas placas até encontrar o Julia Pfeiffer Burns State park. Você estaciona, pega a passagem sob a estrada e o caminho te leva ate o mirante da McWay Falls, uma cachoeira de 80 pés que cai de penhascos de granito para a praia.

Obs: não entre no Pfeiffer Big Sur State Park, que é outra coisa (um parque sem grandes coisas pra ver…). A cachoeira fica depois deste parque, ou antes para quem vem do outro lado.

Continue a percorrer essa linda estrada até o Post Ranch Inn, hotel um pouco antes de Carmel. Hospede-se nele, se quiser em uma das casas nas arvores e com antecedência reserve para jantar no horário do sunset, não perca essa parada, vale por todo o trajeto.

Acorde, tome seu café e siga para Carmel, ou passe mais uma noite por lá, só não estranhe alguns hospedes peladões, no melhor estilo paz e amor.

Já Carmel é uma cidadezinha que mais parece uma Gramado litorânea, uma graça, charmosa, pitoresca, minúscula, um pouco antiquada. Comece visitando o Pebble Beach Golf de carro ou bike, passeie pela principal rua e arredores e almoce no La Bicyclette, uma delícia de restô com um clima gostoso e mais transado que os demais.

Em seguida, a viagem segue em direção a São Francisco, essa etapa um pouco mais cansativa, e sem tantos atrativos.

São Francisco

Olha, aqui é a parte que a minha sinceridade pode assustar e até irritar você, devo alertar. Esses dias uma amiga me ligou perguntando sobre dicas de São Francisco, respondi que minha dica era que ela não fosse. Vou explicar, acho justo cada um conhecer e ter sua própria experiência e impressão. A minha, embora tenha achado uma cidade com pontos muito bonitos, como a Lombard St., aquela que mais parece uma serpente, toda florida, e a Golden Gate, um cenário único, foi ruim.

E me pergunto como poderia ser diferente, olha, morei em Paris, vivo no Brasil, mas só lá me senti dentro de um episódio do Walking Dead, tamanha a horda de mendigos, em sua maioria dependentes químicos ou com problemas mentais, nas ruas, literalmente vagando. Não em uma rua xyz, na qual tenha caído desavisada, mas nas principais atrações, pontos turísticos, ruas e bairros, exceto nos residenciais, talvez por isso ainda se vive por lá, porque pra turistar é preciso desviar literalmente e na mente, tamanho o choque.

Mesmo assim, tenho duas dicas de insider que vão tornar São Francisco mais interessante.

BLACK CAT

A primeira é o Black Cat, restô novo, de jazz, quando fomos estava aberto a apenas um mês, super lotado, quase não sentamos. O lugar é pequeno, todo preto, no andar térreo um bar cobre quase toda a extensão. Algumas mesas o circulam, com um pessoal animado, tomando coquetéis e provando alguns tapas. Aqui todos usam preto e me parecem mais boêmios e livres que em L.A.

No subsolo, o restaurante com uma áurea misteriosa, lotado mas intimista e logo à frente o trio de jazz. Fomos seduzidos, comida maravilhosa (não deixe de provar o Lamb Meatballs, embora tudo fosse excelente), astral surprendente, clima sexy e uma noite maravilhosa.

Tea Store

E a segunda, o melhor chá de menta e rosas que já tomamos, ele não é de lá, mas vende e o descobrimos em São Francisco, ponto para SF. É o que dizem, tudo vale a pena se a alma não é pequena. Não deixe de comprar e trazer um pra mim: na Red Blosson Tea Co. em Chinatown, o de peppermint + roses.

** Se eu fosse fazer essa viagem novamente, sabendo tudo que eu sei hoje, faria o seguinte percurso e paradas:

Iniciaria a viagem por SF, para acabar em grande estilo. Passaria lá uma noite se fosse necessário. No dia seguinte seguiria para Carmel, onde almoçaria e conheceria a cidade durante a tarde. 

Chegaria ao Post Rach Inn (40min de Carmel) no horário do sunset, para um drink especial, seguido por um jantar com vista deslumbrante. Passaria dois dias no hotel. 

Depois seguiria viagem, parando na cachoeira, leões marinhos e talvez no castelo. 

Para então seguir para Santa Barbara onde passaria uma noite, e conheceria a cidade durante o dia seguinte, partindo para L.A no fim da tarde, já que é super pertinho, lá ficar por umas 3 noites, como fizemos.